Aos 30 e o Aprendizado

Em 14.05.2016   Arquivado em Comemorando

Fiz uma lista de coisas que gostaria de realizar antes de chegar aos 30. Não fiz nem metade.
Isso geraria um caos imenso dentro de mim, mas hoje não porque hoje eu sou aquela mulher de trinta que eu sempre quis ser. E mulheres de 30, amigos, já passaram pelos inúmeros planos dos 20 e poucos anos e sobreviveram.

Porque aos 30 não temos mais tempo a perder e eu não quero falar de planos, quero falar de aprendizado.

Em trinta anos aprendi que posso ser essa metamorfose ambulante e que é muito melhor ser assim do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. O mundo muda, as coisas e as pessoas mudam numa velocidade absurda e temos que caminhar no mesmo ritmo. E eu posso mudar de opinião sim, e posso falar sobre isso sim.

Aprendi a dizer não. E que é essa sinceridade que mantém relacionamentos.

Aprendi que tem história que dói, tem saudade que dói, que a dor acontecerá mais vezes do que gostaríamos. Mas as feridas, até mesmo as profundas, cicatrizam. E um dia até conseguiremos falar delas sem chorar – o que indica a cura.

Aprendi que meu corpo é meu templo. Não posso permitir o que não me agrada e preciso cuidar dele todos os dias. Mas aprendi também que o tempo torna esse trabalho difícil (um beijo, metabolismo dos 20 aninhos!).

Aprendi que o bem mais precioso da vida é a saúde, mas notas delicadas de paz de espírito fazem a diferença. Pedir desculpas, perdão, agradecer, reconhecer o outro, isso tudo contribui e muito para obtê-la.

Aprendi que amizade é a base do amor. E que amigos são poucos, colegas são vários. O que faz o termo mudar é a capacidade de ter e demonstrar empatia. A distância geográfica não diz nada.

Hoje chego aos 30 com vontade de continuar aprendendo, vivendo, experimentando, evoluindo.

  • carolina rodarte

    Em 14.05.2016

    e você so tem crescido. sou grata pela sua luz e companhia.
    <3

  • Ma

    Em 14.05.2016

    Aos trinta eu ainda não era mãe. Talvez o tempo ainda esticasse o início da fase adulta quando a adolescência e os sonhos ainda faziam sentido.
    E mesmo assim o tempo urge e você é literalmente levada pela correnteza: ou aprende e segue ou fica na estação vendo o trem ir embora.
    E hoje, aos 55 , talvez eu seja a sua amiga mais experiente(?), ou simplesmente sua Tia Ma, que continua correndo atrás dos que ama, na vã tentativa de segurar o tempo. E assim é.
    E quanto a você: você faz parte do seleto grupo dos que corro atras.
    Bjo grandão.

  • Lulu

    Em 14.05.2016

    Lita,
    A cada ano que vivemos ficamos mais sábias e mais maduras. Admiro a grande mulher que você é e desejo que você colha bençãos, alegrias, saúde e muito amor.
    Feliz aniversário.
    Big Beijos