Aos 30 e as Descobertas

Em 08.10.2016   Arquivado em Terapiando

Sempre percebi que é a cabeça começar a melhorar e os posts sumirem do blog.
Será que eu não sei escrever sobre felicidade?

É que eu estou descobrindo tantas coisas novas, tantos sentimentos novos, que nem dá tempo pra parar!
Vocês já viram alguém estranhar não ter um problema?
Pois é!
Essa semana na terapia, que segue firme e forte, eu disse a ela que não entendia porque eu não tenho motivações estéticas.
Eu não tenho tanta vontade de ter uma perna grossa, uma barriga definida, a ponto de me dedicar o suficiente na academia.
É muito estranho eu não me sentir frustrada quando me olho no espelho!
É estranho demais eu não ter um problema!!!

A gente se acostuma com as coisas, acho que me acostumei com o caos e ainda estou descobrindo a calmaria.

Descobrindo quem eu sou, do que eu gosto, o que me faz feliz, quais são os meus sonhos e o quanto a vida pode ser bacana.

Aos 30 e o Pote de Sonhos

Em 19.09.2016   Arquivado em Projetos

Quando temos um objetivo nem sempre nos deparamos com uma estrada em linha reta para alcançá-lo. Às vezes precisamos encarar as curvas que não nos permitem a visão completa do que está adiante, obstáculos que travam a passagem principal levando a outras e até mesmo atalhos que precisam de avaliação para saber se serão benéficos ou não.

Encontro-me fazendo a curva, temendo ainda pelo desconhecido, porém com a certeza que a partir do momento que avistá-lo, a segurança virá.
Aprendi esses dias que é normal temer o desconhecido, que a segurança aparece quando tentamos e não é o contrário que acontece, não podemos esperar pra depois agirmos senão não sairemos nunca do lugar.

Com a certeza que depois da curva o novo será lindo, com cheiro e sons de Floresta Encantada, com lindos tons de verde, seguirei em busca do meu sonho que virá através de pote, meu Pote de Sonhos.

Aos 30 e os Desafios

Em 14.09.2016   Arquivado em Good Vibes

Chega um momento na vida que a gente precisa é se amar.

Começo meu texto com essa frase, pois é exatamente o que aconteceu. Um belo dia acordei e resolvi mudar, mais clichê impossível!
Disse anteriormente que em abril busquei ajuda psiquiátrica (acho que não contei em qual mês foi). No final do mês consegui terapia para minha filha e em maio consegui a minha.
Não satisfeita com o passo dado, que foi imenso, em Junho iniciei atividade física em ambiente externo / fora de casa (academia) e um curso de nutrição e é sobre isso que eu quero falar.

Não foi um curso de nutrição qualquer, foi o Nutrição Sem Prescrição, algo novo criado pela nutricionista Jéssica Ribeiro que teve a intenção de ensinar pessoas saudáveis e comuns a pensar sobre alimentação, ter senso crítico nesse mundo de dietas de moda, a não ter medo de comer, ler rótulos… um curso sobre viver.

– Miga, sua louca, o que um curso de nutrição tem a ver com mudanças?
Pra quem não sabe, eu estava me afundando em compulsão alimentar, alimentação muito ruim com lanches, pizzas e refrigerantes quase que 90% do tempo. Eu não queria viver, era um suicídio inconsciente, mas nem tão inconsciente assim, pois eu sabia que estava com esteatose hepática, glicemia e triglicérides elevados.

Curso começa, eu ainda estava muito resistente, não estava pronta para mudanças.
Veio Julho, Agosto. Em Agosto resolvi dar um basta em alguns pontos que eu sempre soube que não eram bacanas, mas que nunca tive força de vontade para fazer: parar de beber refrigerante e de comer lanches de redes como BK e MC. Pronto, mais um passo enorme!

Mas aí, meus amigos, aí o universo conspirou e uniu pessoas muito parecidas naquele curso. Pessoas semelhantes, com necessidade urgente de mudança e evolução, resultado: um desafio em grupo!

  • controlar excesso de refeições livres (só 4 em 30 dias): refeição livre não é dia do lixo, não é comer coisas que não seriam bacanas no dia-a-dia, é um rodízio, uma pizza, um lanche caseiro, bebidas alcoólicas…
  • beber mais água: 2,5 litros por dia
  • 30 dias sem refrigerante e similares: amei esse apoio!!!
  • desafio individual: tinha falado no grupo que meu seria conhecer todos os legumes e verduras, mas acabei mudando $$ e foi sobre comportamento, minha autoestima e autocuidados principalmente

E o que aconteceu nesses 30 dias?
Estreitamos laços, trabalhamos a empatia e descobrimos isso no outro, colocamos finalmente em prática tudo aquilo que aprendemos sem sofrimento, não caímos mais em qualquer cilada de moda. Uma família, amigos que cuidarão uns dos outros sempre que precisarmos.

Se pudesse, mostraria meu antes e depois pra vocês, mas como disse minha xará, teria que tirar uma foto do meu cérebro.
Do meu coração.
Teria que mapear e verificar dosagens de conhecimento, amizade, amor, principalmente aquele que faltava, o próprio.

Hoje é o último dia do desafio oficial, mas tudo que aconteceu será pra sempre.
Desafio de vida!

Aos 30 e a Metarmofose

Em 22.07.2016   Arquivado em Terapiando

Todo mundo já se apropriou indevidamente de Metamorfose Ambulante.
Começa a tocar e a gente se sente a própria lagarta virando borboleta, a inspiração do Raulzito.
Eu também prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.
Só que, amigos.
Só que…
… o buraco é mais embaixo.

A gente se orgulha da capacidade de renovação, mas chega na hora P e não ouve ninguém, não aceita o novo, é não não não, eu sou assim, nasci assim, vou morrer assim, faço isso a vida toda e não morri, quem é você pra dizer o que tenho que fazer, sai daqui!
E a pseudo-metamorfose fez a lagarta cair porque não surgiram asas.

Tento mudar isso, essa postura chata e cansativa.
Descobri que não é bacana e se não gosto no outro, cada vez mais evito reproduzir.
O outro na verdade é um espelho, né? Ele reflete direitinho o que menos gostamos em nós mesmos.
E eu não posso justificar tamanha babaquice com astrologia.
“Taurinos são teimosos” – Não, gente!
Acredito em características de signos? Sim.
Mas eu acredito que a gente escolhe como agir e essa postura reforçando características negativas, normalizando coisas ruins, não é saudável.

Chega um momento na vida que a gente precisa acordar, avaliar e mudar o que é necessário.
Praticar e ser a tal da metamorfose, de fato.

Aos 30 e a Felicidade

Em 30.06.2016   Arquivado em Good Vibes

Carinho matinal.
Aquela conchinha que faz a gente ficar mais 5 minutinhos na cama.
Café da manhã reforçado, numa mesa farta.
Ir ao parquinho do prédio.
Sentir o Sol aquecendo a pele.
Ler um livro.
Dançar com Larissa.
Ouvir suas questões infantis, porém importantes, enquanto ela vai para a escola.
Assistir série sozinha.
Brincar com a Arya.
Cozinhar.
Almoçar e ter sobremesa.
Cochilar.
Jantarmos juntos.
Comer pizza, lanche.
Assistir série abraçadinha.
Vê-la.
Namorar.
Escrever.
Limpar a casa.
Organizar armários.
Organizar tudo.
Amigos.
Falar besteira com amigos.
Jogar com amigos.
Jogar sozinha.
Passear.
Parque.
Cinema.
Andar no shopping.
Restaurante.
Boliche.
Demonstrações de afeto.
Larissa.
Sobrinhos.
Ajudar.
Ensinar.
Compreender.
Acolher.
Ouvir música.
Dançar sozinha.
Tomar banho demorado.
Rotina de beleza.
Cumprir meus objetivos diários.
Banho de chuva.
Pisar em folhas secas.
Estudar.
Gifs de gatinhos.
Unicórnios.
Balões.
Arco-íris.
Flores.
Plantas.
Mexer em terra.
Areia da praia.
Entrar no mar.
Ver o mar.
Ouvir o mar.
Caminhar.

É o que me faz feliz.

Página 5 de 71234567